Editorial

www.arep.pt, um rosto renovado da AREP

  1. No início de julho passado foi “para o ar” a nova versão do site da AREP.

Para além da aplicação do novo grafismo foram introduzidos alguns aperfeiçoamentos face à versão anterior.

Mantém-se intacta a intenção inicial: o site deve conter o máximo de informação possível sobre a vida da nossa Associação e disponibilizar os meios necessários para facilitar o acesso rápido ou, pelo menos, o encaminhamento expedito às soluções que a AREP oferece aos seus Associados.

A esta juntou-se uma outra componente: a comunicação de estórias, testemunhos, temas do dia a dia que nos possam divertir, recordar e chamar a atenção para o que ocorre à nossa volta.

Queremos manter rigor, facilidade de uso e, simultaneamente, atualização permanente naquilo que é publicado.

Mais do que uma “estante” onde se vai quando se pretende consultar uma informação desejamos que o site seja um “local” por onde passamos frequentemente para ver o que há de novo.

Visite-o. Vá ao seu computador e tecle www.arep.pt.

2.A AREP completou 35 anos em junho.

Nasceu com o objetivo de ”apoiar e procurar satisfazer as pretensões dos associados reformados, pensionistas, trabalhadores no ativo e cônjuges de todos os associados, nos domínios da saúde, da habitação, de centros de convívio, de casas de repouso e na ocupação de tempos livres, participação dos associados em atividades da empresa e das organizações circum-empresariais, ajuda e colaboração entre associados”.

Partindo dos cerca de 600 associados iniciais a AREP serviu, ao longo destas três décadas e meia, cerca de 8330.

Chegámos a junho de 2021 com 5315 para os quais trabalham 100 voluntários.

Permanecemos empenhados no cumprimento da nossa missão.

Ainda que haja motivos para nos orgulharmos, não nos cabe estar satisfeitos. Temos de superar-nos continuamente.

3.A notícia do falecimento do Fernando Raminhos atingiu-nos profundamente.

Dirigente marcante na Delegação de Setúbal, com uma preocupação particular pela difusão cultural, colaborava amiudadamente no informarep, com artigos que atraíam sempre a nossa atenção. Era muito exigente quanto à qualidade dos eventos que promovia com os quais pretendia não apenas distrair e divertir, mas também proporcionar aos participantes mais conhecimentos e mais largas perspetivas sobre o mundo.

Era um Voluntário exemplar que devemos recordar e ter como modelo.

  1. Depois de um pequeno alívio o coronavírus atacou de novo, exigindo-nos precauções reforçadas (máscara, gel, distanciamento social, reconfinamento).

O número de novos infetados cresceu bastante. Começaram, entretanto, a revelar-se as sequelas na saúde de quem foi infetado.

Valha-nos a vacina! Pode ajudar a evitar a infeção e, caso esta ocorra, pode atenuar muitíssimo os seus efeitos.

Eu sei que estamos todos fartos, deprimidos, desesperados por retomar a vida normal, mas tenhamos cuidado, pelo amor de Deus! Não abusemos dos convívios, das reuniões, das conversas de café. Aguentemos mais um pouco. Não se trata apenas da nossa  saúde, mas também da dos outros.

António Pita de Abreu

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top